João Carvalho das Neves é nome de Ribeiro Mendes para conselho fiscal do Montepio

2018-10-11

João Carvalho das Neves é nome de Ribeiro Mendes para conselho fiscal do Montepio

A lista de Fernando Ribeiro Mendes, actual administrador do Montepio que se incompatibilizou com António Tomás Correia, já tem nomes para as lideranças de todos os órgãos sociais.   João Costa Pinto vai mesmo liderar o conselho geral (que junta os titulares de todos os órgãos sociais da associação mutualista e ainda uma representação eleitoral resultante do sufrágio).
Ribeiro Mendes tinha já revelado o convite, mas o antigo vice-governador do Banco de Portugal ia ponderar.
A resposta acabou por ser positiva e Costa Pinto é o nome para presidir o órgão responsável por definir as linhas gerais do Montepio.   Em comunicado, revela a candidatura de Ribeiro Mendes, ’foram agora anunciados os nomes de João Proença e de João Carvalho das Neves, o primeiro para presidente da assembleia-geral e o segundo para presidente do conselho fiscal’.
O antigo secretário-geral da UGT e actual presidente do conselho geral e de supervisão da ADSE tinha-se candidato, em 2015, numa lista de oposição à de Tomás Correia presidida por António Godinho, na altura para administrador.
Agora lidera a mesa da assembleia-geral.   Já João Carvalho das Neves, professor universitário que é actual membro do conselho geral e de supervisão da EDP e que esteve na equipa de Miguel Cadilhe no BPN e na SLN, é o nome proposto para ficar à frente do conselho fiscal, com responsabilidade de vigilância sobre o trabalho da administração.   O Negócios questionou sobre se há mais elementos para as candidaturas aos vários órgãos sociais, mas foi dito pela assessoria de Ribeiro Mendes que só mais para a frente haveria essa divulgação.
O lançamento da candidatura contou com várias personalidades, como Miguel Coelho, também administrador da associação mutualista.Ribeiro Mendes insiste em ’virar de página’ ’A experiência, a dedicação e o profissionalismo demonstrados ao longo da sua vida profissional pelas cabeças de lista que agora integram a ‘União e Confiança’ comprovam a abrangência da nossa lista e a convergência de vontades em inverter o estado em que se encontra a Associação Mutualista do Montepio’, diz Ribeiro Mendes, citado no comunicado enviado às redacções.   A lista de Ribeiro Mendes tentou negociar com as candidaturas vencidas nas eleições de 2015, para uma candidatura única de oposição a Tomás Correia (ou a alguém por ele apoiado), mas não houve entendimento.
    Certo é que Ribeiro Mendes assume, na nota, que o Montepio não pode contar com Tomás Correia: ’Chegou a hora de virar a página e de fazer jus à missão da nossa instituição’.
’Virar de página inadiável’ foi o título de um artigo de opinião assinado pelo antigo secretário de Estado de governos socialistas que tornou públicas as divergências com Tomás Correia.   O actual presidente, no cargo desde 2008, ainda não revelou se vai candidatar-se, mas já adiantou que não se revê nas candidaturas que estão em cima da mesa.
Aliás, Tomás Correia já veio a público tentar desmistificar a ideia de ’virar de página’ de Ribeiro Mendes, quando disse em entrevista ao Dinheiro Vivo que as decisões tomadas na administração do Montepio foram colegiais.Para já, a de Ribeiro Mendes é a única candidatura anunciada publicamente.
As eleições realizam-se a 7 de Dezembro, sendo que as listas têm de ser formalizadas até ao final de Outubro. 

Voltar